Publicado por: elielsoares | fevereiro 3, 2010

RENOVANDO O PROPÓSITO DE SERVIR

Pr Eliel Amaral Soares
I – Introdução

II – A Necessidade de uma Renovação e não Inovação de Propósito.

III – Os resultados alcançados por aqueles que tem propósito de renovação e incentivar a todos a estabelecer e buscar tais propósitos.

IV – Aplicação

Tema:
“Bem sei eu que tudo podes, e que nenhum dos teus propósitos pode ser impedido”. Jó 42.2

Introdução

Introdução 10’ – O que é Propósito e o seu Significado.

A palavra “propósito” significa deliberação, resolução, decisão.Mira, intento.
Bom-senso, prudência, compostura.Maneiras Comedidas.Modo sisudo. Juízo. Tino.

Determinação – é a disposição para alcançar um objetivo.Meta.

Fl 3.13 Irmãos, quanto a mim, não julgo que o haja alcançado; mas uma coisa faço, e é que, esquecendo-me das coisas que atrás ficam, e avançando para as que estão adiante,
14 prossigo para o alvo pelo prêmio da vocação celestial de Deus em Cristo Jesus.

»ECLESIASTES [3]
1 Tudo tem a sua ocasião própria, e há tempo para todo propósito debaixo do céu.
o Deus tem um propósito para cada um de nós.
o Caminhe em direção ao propósito.
o Verifique o alcance e o conteúdo do propósito.
Pro-pó-si-to (lat propositu).
1. Intenção de fazer ou deixar de fazer alguma coisa; decisão, deliberação, resolução.
2. Desígnio, intento, projeto, tenção.
3. Objeto que se tem em vista; fim, intento, mira.
4. Bom senso, juízo, prudência, tino.
5. Bons modos: Tenha propósito menino! A propósito: convenientemente ao lugar, ao assunto etc.; a este respeito, quanto a isto, já que se fala ou trata distante acomodadamente,a tempo; de modo vantajoso e oportuno. A propósito de: com respeito a; pelo fato de, pelo motivo de. A que propósito: a que intento, com intenção especial (boa ou má); de caso pensado, de industria, determinadamente. Fora de propósito: fora da ocasião própria, inoportunamente, sem vir ao caso.

Renovar ou Inovar os Propósitos

I – A Necessidade de uma Renovação e não Inovação de Propósito. 10’

O que o crente preciso não é inovação de propósitos que não passam de compromissos assumidos perante Deus e não cumpridos, mas de renovação de propósitos para melhor servir ao Senhor.
Renovação – Ato ou efeito de renovar-se. Atualização. Modernização. Evolução. Mudança. Restauração e Reforma.

Inovação – Ato ou efeito de inovar. Aquilo que já se inovou.novidade.

Resultados Obtidos na Busca de Propósitos

II – Os resultados alcançados por aqueles que tem propósito de renovação e incentivar a todos a estabelecer e buscar tais propósitos. 20’

Não se consegue qualidade de servir a Deus, sem estabelecer e buscar propósitos.
Com esforço e boa vontade.

1 – Todo propósito tem os seus aspectos
o Negativos (Embaraços, pressa, impedimentos, comodismo, circunstâncias, adversidades, falta de visão dos alvos, dilemas, dificuldades).
o Positivos (pequeno, médio e longo prazo).Amadurecimento.Tudo no seu tempo.Sonhos e Ideais.
E Diante deles devem ser verificados algumas situações:
– Clareza dos Fatos.
– Perscrutar: e,
– Traçar um perfil do problema (situação).
2 – Elementos indispensáveis a todo PROPOSITO.

2.1- Serenidade –manter a alegria e a calma. “Vamos ficar calmos”
a) JESUS – o nosso, exemplo, serenidade diante da traição Mt 26.50. Tranqüilidade só tem os crentes.
b) Pedro -Preso entre dois soldados, dormia.
c) Paulo e Silas- No cárcere de Filipos, cantavam e oravam. Auto controle. Isenção das Agitações e Cuidados. Moderação.

2.2 – Resignação – Não podemos ser dominados pelas coisas que nos perturbam (Irritação, preocupação). “Äceitemos os Transtornos cordialmente”. Franquezas. Erros. Comece de Novo.
2.3- Coragem – entusiasmo e disposição para encarar as derrotas, planos não realizados, problemas, o Triunfo está no conservar-se corajoso.
o “Somos capazes de agüentar isto e ate mais”.
o Firmeza de Animo. (Perigos, Reveses, Sofrimentos).
Josué – 1.1-6. Davi – Sl 23.Paulo – At 23.11.Pv 24.10.Sl 27.1

2.4- Determinação – Transformar o fracasso em vitória. Se Deus é por nós, quem será contra nós?
o Atingir os Alvos.
o Desafios e Metas.

2.5- Alegria – Não podemos nos prostrar diante das circunstâncias.

3 – Homens de Propósitos

3.1 – Jacó – Gn 32. 26 Disse o homem: Deixa-me ir, porque já vem rompendo o dia. Jacó, porém, respondeu: Não te deixarei ir, se me não abençoares.(Coragem e Determinação para mudar – objetivo – ser patriarca).
3.2 – Éster – 4.14 Chamada com o propósito de preservar os judeus.
Pois, se de todo te calares agora, de outra parte se levantarão socorro e livramento para os judeus, mas tu e a casa de teu pai perecereis; e quem sabe se não foi para tal tempo como este que chegaste ao reino?

Aplicação

1. Propósito Irresistível – Is 14.27 Pois o Senhor dos exércitos o determinou, e quem o invalidará? A sua mão estendida está, e quem a fará voltar atrás?
2. Certos do cumprimento – Jr 51. 20 Tu me serves de martelo e de armas de guerra; contigo despedaçarei nações, e contigo destruirei os reis;
3. Deus nos constituiu e designou – At 26. 16 mas levanta-te e põe-te em pé; pois para isto te apareci, para te fazer ministro e testemunha tanto das coisas em que me tens visto como daquelas em que te hei de aparecer;

Is 14.24 O Senhor dos exércitos jurou, dizendo: Como pensei, assim sucederá, e como determinei, assim se efetuará.
Ez 12.28 Assim diz o Senhor Deus: Não será mais adiada nenhuma das minhas palavras, mas a palavra que falei se cumprirá, diz o Senhor Deus.
Jr 29.11 Pois eu bem sei os planos que estou projetando para vós, diz o Senhor; planos de paz, e não de mal, para vos dar um futuro e uma esperança.

Anúncios
Publicado por: elielsoares | fevereiro 3, 2010

Os Dois Lados da Páscoa

Ex 12:1-28.

Introdução:

Apresentamos os dois lados da Páscoa, um descrito pela História e Tradição e outro o fato a História da Bíblia.
Versão Católica:

O que é Páscoa?

Feriado essencialmente cristão, a Páscoa comemora o renascimento e ascensão de Jesus Cristo aos céus. A palavra Páscoa vem do hebraico Pessach, significando ressurreição, vida nova. O Pessach é uma festa judia que comemora a libertação do povo judeu do cativeiro, no Egito, e a passagem através do Mar Vermelho.

A Páscoa é antecedida pela Quaresma, um ritual que tem início 40 dias antes do celebrado dia dos ovos de chocolate. É o período entre a Quarta-feira de Cinzas e o domingo de Páscoa. Durante esse período, a purificação deve ser alcançada por meio de penitência, como o jejum, que promoveria a libertação dos pecados.
Versão Protestante:

Páscoa – “Passagem”, comemoração culminante da Redenção de Israel, deveria ser comemorada por estatuto perpetuo. Ex:12.14.

I – A Páscoa apresenta os sinais: (2 Sinais). A Páscoa foi substituída pela Ceia.

1. O fim de uma serie de juízos sobre os egípcios.

2. A Libertação de Israel.

a. A Santa Ceia apresenta Jesus como o Cordeiro – Pascoal. Por ele (Jesus):

v Não participaremos dos juízos de Deus, Rm: 8:1.
v Libertação da Escravidão do pecado e do Mundo (Egito).

II – A Páscoa era apresentada por Símbolos:

1. O Catolicismo apresenta:
q Por que o coelho simboliza a Páscoa? Além de ser símbolo da fertilidade, o coelho tem a ver com o renascimento da vida. Na Europa, a Páscoa coincide com o início da primavera, quando toda a neve derrete e a vida ressurge, após o período de frio. Esse é o momento em que os coelhos deixam suas tocas, após a hibernação de inverno.

q O simbolismo do ovo No início do cristianismo, presenteava-se com alimentos. O ovo passou a ter duplo significado: além de ser um presente era um símbolo de uma nova vida, lembrando o sepulcro de Jesus, que ressurgiu no dia de Páscoa. O chocolate foi introduzido na tradição por volta do século 9, na Inglaterra, quando a indústria do doce começou a se desenvolver. O costume chegou ao Brasil com os colonizadores portugueses.

q Semana Santa

Os rituais da Igreja Católica são: Domingo de Ramos – Celebra a entrada de Jesus em Jerusalém para o festejo da Páscoa. Os ramos são levados à igreja para serem abençoados pelo padre. Seu ramo simboliza você, que é parte da videira, árvore que representa Jesus. Depois da cerimônia, os ramos são queimados para serem usados na Quarta-feira de Cinzas do próximo ano. Quinta-Feira Santa – Neste dia acontece a cerimônia do lava-pés, lembrando a Última Ceia, quando Jesus lavou os pés dos apóstolos. Essa liturgia simboliza a humildade. Sexta-Feira da Paixão – Único dia do ano em que não há missa, acontecendo apenas a Celebração da Palavra. É quando acontece a procissão que reproduz a via-sacra. Sábado de Aleluia – Dia em que se acende o Círio Pascal, símbolo da luz de Cristo, que ilumina o mundo. Acontece também a Vigília Pascal. Domingo de Páscoa – Dia final da Semana Santa, o domingo celebra a ressurreição de Cristo. Além da tradicional missa, costuma acontecer uma encenação da ressurreição.

III – A Páscoa para o Povo de Israel era apresentada por Símbolos:

1. Cordeiro – (Tipificava Jesus) “Eis o Cordeiro”. João 1:2-9.

a. 1o. Mês do Ano = Calendário Judaico (Abide – Abril)

b. Dia 10 – o cordeiro seria guardado por 4 dias.

c. Dia 14 – Dia da Imolação v. 6.

d. O Cordeiro era sem:
v Macula.
v Defeito.
v Macho de um ano.
Jesus não tinha:
v Macula nem
v Defeito. I Pe 1:18, 19.

e. Não podia quebrar nenhum osso do cordeiro. 4,6.
Jesus, antes expirou e quando os soldados foram para quebrar as pernas ele já estava morto. Jo 19:33 e 36.

f. O Cordeiro era separado 4 dias antes.
v Jesus entrou em Jerusalém no dia da separação e, morreu. Ex 12:6.

g. O cordeiro era imolado às 15hs (hora nona). Mc 15:33, 34. Portanto, Jesus é a nossa pecados. I Jo 1:7. (entre as 2 tardes).

2. O sangue do Cordeiro – representava a “expiação” Ex 12:7. O sangue de Jesus foi derramado para expiar os nossos pecados. I Jo 1;.

3. Alfaces Bravas – v. 8 – representava a amargura do cativeiro.

4. Os Pães Asmos – representava o emblema da pureza (sem fermento) Ex 12:8.

5. Aspersão do Sangue do Cordeiro nos Umbrais da Porta. V. 13, 22 e 23. – representavam um sinal de fé, porquanto eles saíram por fé?
Hb 11-28.

Tipologia Do Cordeiro
Cordeiro = Jesus.

Publicado por: elielsoares | fevereiro 3, 2010

Três Classes De Crentes

Mt 14.22-36.

Barcos a Remos.

O barco a remo avança pouco, porque o remador cansa logo, assim também o crente que não tem o fogo do Espírito Santo, e quer seguir a Cristo com suas próprias forças, cansa logo e fica parado.

Barcos a Velas.

O barco a vela só vai para frente quando o vento é favorável, mas quando o vento é contrario volta para trás, assim também tem crentes que só seguem a Cristo quando as coisas vão bem, quando o pastor bate-lhes nas costas, porem, quando o vento é contrario, ou seja, qualquer probleminha, volta para trás.

Barcos a vapor.

O barco a vapor tem fogo, e por isso pode navegar, contra o vento e a maré, assim também o crente que tem o fogo do Espírito Santo, vai sempre para frente, contra vento e maré, só se detém para ganhar almas.

Que tipo de barco é o dileto irmão?

Publicado por: elielsoares | fevereiro 3, 2010

TRES COISAS IMPORTANTES

Jo 8.29 At. 17.

1o. Presença (Companhia)

Garantia (segurança)

Cooperação.

2o. Assistência (Presença)

Jo 16.

3o. Agradável a Deus (Graça)

Publicado por: elielsoares | fevereiro 3, 2010

Sermões que Atrapalham o Culto

Apenas para ilustrar, vamos fazer uma rápida classificação dos sermões que mais atrapalham o culto. Se você freqüenta igreja há vários anos, é provável que já se tenha encontrado com alguns desses sermões mais de uma vez. A seguir, descrevem-se os tipos de sermão que atrapalham o culto.

1) O SERMÃO SEDATIVO – É aquele que parece anestesia geral. Mal o pregador começou a falar e a congregação já está quase roncando. Caracteriza-se pelo tom de voz monótono, arrastado, e pelo linguajar pesado, típico do começo do século, com expressões arcaicas e carregadas de chavões deste tipo: “Prezados irmãos, estamos chegando aos derradeiros meandros desta senda”, Porque não dizer: “Irmãos, estamos chegando às últimas curvas do caminho”? Seria tão mais fácil de entender. Ficar acordado num sermão desse tipo é quase uma prova de resistência física. Como dizia Spurgeon: “Há colegas de ministério que pregam de modo intolerável: ou nos provocam raiva ou nos dão sono. Nenhum anestésico pode igualar-se a alguns discursos nas propriedades soníferas. Nenhum ser humano que não seja dotado de infinita paciência poderia suportar ouvi-los, e bem faz a natureza em libertá-lo por meio do sono”.

2) O SERMÃO INSÍPIDO – Esse sermão pode até ter uma linguagem mais moderna e um tom de voz melhor, mas não tem gosto e é duro de engolir. As idéias são pálidas, sem nenhum brilho que as torne interessantes. Muitas vezes é um sermão sobre temas profundos, porém sem o sabor de uma aplicação contemporânea, ou sem o bom gosto de uma ilustração. É como se fosse comida sem sal. É como pregar sobre as profecias de Apocalipse, por exemplo, sem mostrar a importância disso para a vida prática. O pregador não tem o direito de apresentar uma mensagem insípida, porque a Bíblia não é insípida. O pregador tem o dever de explorar as belezas da Bíblia, selecioná-las, pois são tantas, e esbanjá-las perante a congregação.

3) O SERMÃO ÓBVIO – É aquele sermão que diz apenas o que todo mundo já sabe e está cansado de ouvir. O ouvinte é quase capaz de “adivinhar” o final de cada frase de tanto que já ouviu. É como ficar dizendo que roubar é pecado ou que quem se perder não vai se salvar (é óbvio). Isso é uma verdade, mas tudo o que se fala no púlpito é verdade. Com raras exceções, ninguém diz inverdades no púlpito. O que falta é apenas revestir essa verdade de um interesse presente e imediato.

4) O SERMÃO INDISCRETO – É aquele que fala de coisas apropriadas para qualquer ambiente menos para uma igreja, onde as pessoas estão famintas do pão da vida. Às vezes, o assunto é impróprio até para outros ambientes. Certa ocasião ouvi um pregador descrever o pecado de Davi com Bate-Seba com tantos detalhes que quase criou um clima erótico na congregação. Noutra ocasião, uma senhora que costumava visitar a igreja confessou-me que perdeu o interesse porque ouviu um sermão em que noventa por cento do assunto girava em torno dos casos de prostituição da Bíblia, descritos com detalhes. E acrescentou: “Achei repugnante. Se eu quiser ouvir sobre prostituição, ligo a TV”. De outra vez, um amigo me contou de um sermão que o fez sair traumatizado da igreja, pois o pregador gastou metade do tempo relatando as cenas horrorosas de um caso de estupro. Por favor, pregadores: o púlpito não é para isso. Para esse tipo de matéria existem os noticiários policiais.

5) O SERMÃO REPORTAGEM – É aquele que fala de tudo, menos da Bíblia. Inspira-se nas notícias de jornais, manchetes de revistas e reportagens da televisão. Parece uma compilação das notícias de maior impacto da semana. É um sermão totalmente desprovido do poder do Espírito Santo e da beleza de Jesus Cristo. É uma tentativa de aproveitar o interesse despertado pela mídia para substituir a falta de estudo da Palavra de Deus. Notícias podem ser usadas esporadicamente para rápidas ilustrações, nunca como base de um sermão.

6) O SERMÃO DE MARKETING – É aquele usado para promover e divulgar os projetos da igreja ou as atividades dos diversos departamentos. Usar o púlpito, por exemplo, para promover congressos, divulgar literatura, prestar relatórios financeiros ou estatísticos, ou fazer campanhas para angariar fundos, seja qual for a finalidade, destrói o verdadeiro espírito da adoração e, portanto, atrapalha o culto. A Igreja precisa de marketing, e deve haver um espaço para isso, mas nunca no púlpito. Isso deve ser feito preferivelmente em reuniões administrativas.

7) O SERMÃO METRALHADORA – É usado para disparar, machucar e ferir. Às vezes a crítica é contra um grupo com idéias opostas, contra administradores da igreja, contra uma pessoa pecadora ou rival ou mesmo contra toda a congregação. Seja qual for o destino, o púlpito não é uma arma para disparar contra ninguém. Às vezes o pregador não tem a coragem cristã de ir pessoalmente falar com um membro faltoso e se protege atrás de um microfone, onde ninguém vai refutá-lo, e dispara contra uma única pessoa, sob o pretexto de “chamar o pecado pelo nome”. Resultado: a pessoa fica ferida, todas as outras, famintas, e o sermão não ajuda em nada.
Às vezes o disparo é contra um grupo de adultos ou de jovens supostamente em pecado. Não é essa a maneira de ajudá-los. Convém ressaltar que chamar o pecado pelo nome não é chamar o pecador pelo nome. Chamar o pecado pelo nome significa orar com o pecador e se preciso chorar com ele na luta pela vitória. A congregação passa a semana machucando-se nas batalhas de um mundo pecaminoso e de uma vida difícil e chega ao culto precisando de remédio para as feridas espirituais, não de condenação por estar ferida. Em vez de chumbá-la com uma lista de reprovações e obrigações, o pregador tem o dever santo de oferecer o bálsamo de Gileade, o perdão de Cristo como esperança de restauração. As obrigações, todo mundo conhece. Nenhum cristão desconhece os deveres do evangelho. Em vez de apenas dizer que o cristão tem de ser honesto, por exemplo, mostre-lhe como ser honesto pelo poder de Cristo. Isso é pregação com poder.
Todos esses sermões mencionados acima atrapalham o culto mais do que ajudam. Prejudicam o adorador, prejudicam a adoração. São vazios de poder. Se você quer ser um pregador de poder, busque a Deus, gaste dezenas de horas no estudo da Bíblia antes de pregá-la, experimente o perdão de Cristo e estude os recursos da comunicação que ajudam a chegar ao coração das pessoas.

fonte: MARINHO, Robson Moura. A Arte de Pregar –
A Comunicação na Homilética. São Paulo: VIDA NOVA, 1999. 192 p. p. 20-23.)
Publicado por: elielsoares | fevereiro 3, 2010

O PAPEL DO MARIDO NO CASAMENTO

Rev Hernandes Dias Lopes

A família é uma instituição divina. Sua instituição precede ao estabelecimento da Igreja e do Estado. Deus é o edificador da família (Sl 127.1). As instruções para se edificar uma família sólida emanam da Palavra de Deus. Ignorar ou mudar essas instruções é conspirar contra a estabilidade e saúde da família. Deus confiou ao homem uma posição vital na família. A Bíblia diz que Deus colocou o homem como cabeça da mulher (Ef 5.23). Uma família não pode ser acéfala nem bicéfala. Ser cabeça, entretanto, não é assumir uma atitude despótica. A mulher não é inferior ao homem. Ambos foram criados por Deus e são imagem e semelhança de Deus. Ambos desfrutam da mesma condição diante do Pai e têm acesso à mesma graça. Cristo como cabeça da igreja a serviu e morreu por ela.
O padrão de liderança do homem não é a do domínio pela força,
mas da liderança pelo exemplo. Como cabeça da igreja Cristo a amou e a si mesmo se entregou por ela. Desta forma, o marido deve amar sua mulher como Cristo amou a igreja. Como deve ser o amor do marido pela esposa?1. Um amor perseverante – Cristo amou os seus discípulos, e amou-os até o fim (Jo 13.1). O existencialismo de Vinicius de Morais diz que o amor é eterno enquanto dura. Esse amor é um simulacro e um arremedo do verdadeiro amor. É paixão fugaz que se desfaz com o sinal da primeira crise. O amor do marido pela esposa deve ser mais forte do que a morte. Nem mesmo as águas turbulentas dos oceanos podem afogálo.2. Um amor sacrifical – O marido deve amar a esposa como Cristo amou a igreja e a si mesmo se entregou por ela (Ef 5.25). O amor verdadeiro é uma entrega, uma oferta e um sacrifício. O amor não é egoísta. Ele não visa seus próprios interesses. Ele não é egocentralizado, mas outrocentralizado. O marido não busca prioritariamente sua própria felicidade, mas esforça-se para fazer sua esposa feliz.3. Um amor santificador – Cristo amou a igreja e se entregou por ela para santificá-la (Ef 5.26). Assim deve ser o amor do marido pela sua mulher. O amor do marido santifica a esposa. Uma mulher amada pelo marido fica livre de muitas tentações e perigos. O amor do marido protege a esposa de muitas armadilhas. O amor do marido abençoa espiritualmente a esposa. O marido deve ser a pessoa que mais influencia a vida espiritual da esposa.4. Um amor altruísta – O apóstolo Paulo diz que quem ama a sua esposa a si mesmo se ama (Ef 5.28). Se amar a esposa é amar a si mesmo, ferir a esposa é ferir a si mesmo. Marido e mulher são uma só carne. Promover um é promover o outro. Machucar um é atingir o outro. Paulo diz que o marido deve amar sua esposa como a seu próprio corpo, e diz ainda que ninguém jamais odiou a sua própria carne (Ef 5.29). Quando o marido fere a esposa com palavras e atitudes, está abrindo feridas em sua própria alma. Quando, porém, ele a abençoa com palavras e gestos, está fazendo investimentos benditos em sua própria vida.5. Um amor romântico – Paulo diz que em vez do marido ferir a esposa, ele deve alimentá-la e dela cuidar (Ef 5.29). A palavra cuidar usada em Efésios 5.29 só aparece outra vez no Novo Testamento, em 1 Tessalonicenses 2.7 e ali é traduzida como “acariciar”. É do propósito de Deus que o marido seja um homem carinhoso com sua mulher. Ele deve tratá-la com honra, com sensibilidade e com afeto. Nada machuca mais uma mulher do que seu marido ser rude com ela em palavras e atitudes. Um casamento feliz se constrói com amor e o amor é paciente, é benigno, o amor não arde em ciúmes, não se ufana, não se ensoberbece, não se conduz inconvenientemente, não procura seus interesses, não se exaspera, não se ressente do mal; não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor jamais acaba (1Co 13.4-8).

Rev. Hernandes Dias Lopes
Publicado por: elielsoares | fevereiro 3, 2010

Refletindo sobre relacionamentos

As maiores emoções, alegrias, felicidades e amores na vida surgem através de relacionamentos. “Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor. Porém, o maior destes é o amor” (I Coríntios 13:13). Porém, existe o outro lado: as maiores feridas e desapontamentos resultam de relacionamentos. “Se vocês agem como animais, ferindo e prejudicando uns aos outros, então cuidado para que não acabem se matando” (Gálatas 5:15).Quando confrontado com a frustração…Quando subjugado pela dor e pela ira…Quando cheio de apatia e confusão… Quando em luta com o egocentrismo… O QUE VOCÊ FAZ?. Graças a Deus por nossas diferenças. Você concorda que homens e mulheres, pais e filhos são diferentes? Pensamos, trabalhamos, fazemos compras e até assistimos à TV de maneira diferente! Deus nos fez diferentes e únicos! “E criou Deus o homem à Sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou” (Gênesis 1:27). “Portanto, aceitem uns aos outros para a glória de Deus, assim como também Cristo aceitou vocês” (Romanos 15:7).. Leve a Deus os seus desapontamentos.A vida não é perfeita, nem se revelará de acordo com as suas expectativas. Existe uma “imagem idealizada” do relacionamento perfeito. Príncipe Valente e Cinderela não fazem parte da vida real. Meu casamento, meus filhos, meu trabalho, minhas amizades não se mostraram aquilo que eu esperava. E então, o que fazer? Levar os desapontamentos a Deus. Ele pode satisfazer todas as nossas necessidades. As pessoas não podem ser perfeitas, nem sempre estarão do seu lado quando precisar e algumas vezes falharão a você. Mas Deus preencherá todas as suas necessidades. Você tem a escolha tanto de permanecer quanto de fugir quando as pessoas o desapontam. “Sejam sempre humildes, delicados e pacientes. Mostrem o seu amor, suportando uns aos outros” (Efésios 4:2). “O amor nunca desanima, porém, suporta tudo com fé, esperança e paciência” (I Coríntios 13:7).. Submeta a Deus os seus sentimentos.Que dizer dos períodos em que você não sente que ama o seu cônjuge ou filho, seu patrão ou pregador? “Meu povo, confie sempre em Deus! Conte a Ele todas as suas aflições, pois Ele é o nosso abrigo” (Salmos 62:8). Deus fará aquilo que promete. O amor é um sentimento e uma ação. Sendo assim, aja, abrindo caminho para um sentimento de amor.Sentimentos sofrem altos e baixos. Você sentiu amor cada hora do seu casamento? Se você responder sim, então só esteve casado durante uma hora! Não, você provavelmente não sentiu amor o tempo inteiro. Portanto, continue agindo, e permita que o sentimento seja restaurado. Lide com os seus problemas — não os enterre. Revelar seus sentimentos é o princípio da cura. Fale com Deus e com a pessoa envolvida no relacionamento, e confie na operação de Deus.. Peça a Deus sabedoria e orientação.Peça direção a Deus – Ele a dará a você. “Mas, se alguém tem falta de sabedoria, peça a Deus, e Ele daráa porque é generoso e dá com bondade a todos” (Tiago 1:5). Ouça-O através da Bíblia e por meio de amigos cristãos. O Criador sabe o que é melhor para a Sua criação.. Tome Jesus como seu exemplo – o que Jesus faria? Seja amável. Perdoe os outros. Não seja egoísta, antes considere as demais pessoas mais importantes do que você e seja humilde. Tente por esta semana fazer estas coisas. Se precisar de ajuda, peça a Jesus. “O nosso amor não deve ser somente de palavras e de conversa. Deve ser um amor verdadeiro, que se mostra por meio de ações” (I João 3:18)

Publicado por: elielsoares | novembro 21, 2009

CELEBRANDO O AMOR – FRATERNIDADE

Introdução:
(1) O cenário evangélico ao redor da Terra está vivenciando 4 tipos de crises:
a) Crise de Identidade – Quando está se perdendo a semelhança de Cristo
b) Crise de Prioridades – Quando Jesus perde o primeiro lugar
c) Crise de Integridade – Quando o caráter cristão se corrompe
d) Crise de Fraternidade – Quando o amor esfriou (Mt 24:12; 2 Tm 3:2-5)
Nesta história preciosa de dois amigos: Davi e Jônatas, temos as lições do amor ágape. Amizade tão sincera, que venceu os revezes, as contradições, o sentimento faccioso, venceu o próprio diabo.
A CELEBRAÇÃO DA FRATERNIDADE – É o tema da mensagem que o Senhor nos dá.
I. A VERDADEIRA FRATERNIDADE NÃO TEM PRECONCEITOS
1. Quem era Daví ?Humilde pastor de ovelhas. Que tinha o cheiro de ovelhas. Um campezino. De roupas simples . Linguajar interiorano. Um jovem simples.
2. Quem era Jônatas ? Filho do Rei Saul. Portanto Príncipe. Membro da Realeza.Jovem famoso.Educado na melhor escola. Roupagem de príncipe (Griff da Corte Real).
3.Possuidor de riquezas .O Lindo do Verdadeiro Amor é que ele não faz acepção, não discrimina, não divide, não separa (Não há “appartaid” )
4. AMAI-VOS!!! Jo 13:34
“Um Novo mandamento vos dou: Que vos ameis uns aos outros; assim como Eu vos amei, que também vos ameis uns aos outros Jo 15:12 “O meu mandamento é este, que vos ameis uns aos outros, assim como eu vos amei.” Rm 12:9,10 “O amor seja sem hipocrisia. Detestai o mal, apegando-vos ao bem. Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal; preferindo-vos em honras uns aos outros.
II. A VERDADEIRA FRATERNIDADE ESTÁ BASEADA NA ALIANÇA DO AMOR
v. 1) A alma de Jônatas se ligou a de Daví”Amor é fusão v. 1) “E Jônatas o amou como a sua própria alma”Amor é Renúncia v. 3)“E Jônatas e Davi fizeram Aliança” – Amor é Aliança (Pacto)Vivemos num tempo, em que amamos mais as coisas do que pessoas É a Síndrome de Jonas – (Qual foi seu maior pecado ???) Aliança profunda é – Jo 13:1 2. Para desfrutarmos desta verdade tão linda – Precisamos de um Batismo de Amor – Rm 5:5
III. A VERDADEIRA FRATERNIDADE É CHEIA DE GENEROSIDADE v. 4)“E Jônatas se despojou da CAPA que trazia sobre si e a deu a Daví, como também suas VESTES, até a sua ESPADA, e o seu ARCO, e o seu CINTO.”O verdadeiro Amor não pede nada em troca, ele dá-se. “E Jônatas despojou…” (Jo 3:16: 15:13; Gl 2:20)O espírito de barganha – não agrada a Deus. A filosofia do “toma lá , da cá” (Jônatas não fazia isto; dava sem pedir nada em troca a Daví)O Amor é presenteiroDuas grandes lições deste jesto de Jônatas(Espiritual e Material): 1ª ) A Lição Espiritual: -Dar a Capa e Vestes:- Signfica oferecer ao meu irmão meu calor, meu afeto, meu carinho -Dar as Armas (Espada e o Arco) – Significa repartir 2ª ) A lição Material O gesto de Jônatas celebra o amor pela Generosidade.
IV. A VERDADEIRA FRATERNIDADE NOS DEIXA PARECIDOSImaginai a cena: Daví veste a roupa de Jônatas, põe a Capa, o cinto; empunha suas armas… O povo olha e diz: “Olha ali Jônatas…”O Amor nos torna parecidos – É a Clonagem do Amor Il.(Dois crentes juntos – Vocês são cristãos???)O que ocorreu na Igreja em Antioquia, segundo Atos 11:26V. A VERDADEIRA FRATERNIDADE PROFETIZAAo despojar-se da roupagem real – Jônatas profetizou com este jesto de amor. Ele profetizou o Reino a Davi. (Veste Daví, e vai já se acostumando com Indumentária de Rei)O Amor é Profeta – Quando eu amo eu profetizo promoção ao meu irmão.Vitória. Triunfo. Bênçãos na vida do meu irmão. (Sl 16:3).
Eliel Soares
Publicado no Recanto das Letras em 04/10/2008Código do texto: T1211364
Publicado por: elielsoares | novembro 21, 2009

O Que se Espera do Novo Pastor

O QUE SE ESPERA DO NOVO PASTOR Mt 10.40;Ef 4.11
INTRODUÇÃO: Quando um pastor chega em uma nova Igreja a expectativa e ansiedade e muita grande. Como sera o Novo Pastor, seu geito, sua forma de ser, sua maneira de pastorear. Que visão tem o rebanho do novo Pastor.
  1. ELE E UM GUIA – APASCENTADOR.Aquele que dirige, orienta.Aquele que vai adiante das suas ovelhas Lider – aquele que lidera
  2. Aquele que organiza
  3. DISPONIVEL
  4. HUMILDE
  5. COMUNICADOR
  6. SERENO
  7. CORAJOSO
  8. RESIGNADO
  9. DETERMINADO
  10. AMAVEL – no tratamento para com todos, sem seleção, discriminação, preconceito.
  11. CORDIAL
  12. UM SER HUMANO QUE POSSUI
  13. Temperamentos.Personalidade.Fraquezas.Erros e FalhasImperfeições. Mas, o Pastor e aquele que tambem precisa de;AtençãoTempo para que seja implantado e seu tipo de pastorado.Genorosidade.Companhia e companheirismo.Amizade.

OS PARADOXOS E CONTRADIÇÕES DO PASTOR

1 – Se é jovem, é inexperiente.

2 – Se for velho e tem cabelos brancos, ja esta na hora de aposentar.

3 – Se a esposa trabalha e se destaca na Igreja. Ela é mandona e quer participar de tudo, e se ela, não participa, não coopera com o marido. Náo ajuda e coopera com o marido.

4 – Se os filhos tem cargos na Igreja, pudera!!! sáo os filhos do Pastor. E se eles náo participam, nem se envolvem, sáo indiferentes e nem ajudam o Pai.

5 – Quando o outro não faz é preguiçoso.

6 – Quando você não faz… está muito ocupado.

7 – Quando o outro fala é intriga.Oh.!!!!!!!!!

Dificil o Pastor Ideal. Quando você fala… é crítica construtiva. Quando o outro se decide a favor de um ponto, é “cabeça dura”. Quando você o faz… está sendo firme. Quando o outro não cumprimenta, é mascarado. Quando você passa sem cumprimentar… é apenas distração. Quando o outro fala sobre si mesmo, é egocêntrico. Quando você fala… é porque precisa desabafar. Quando o outro se esforça para ser agradável, tem uma segundaintenção. Quando você age assim… é gentil.Quando o outro encara os dois lados do problema, está sendofraco.Quando você o faz… está sendo compreensivo. Quando o outro faz alguma coisa sem ordem, está se excedendo. Quando você faz… é iniciativa. Quando o outro progride, teve oportunidade. Quando você progride… é fruto de muito trabalho. Quando o outro luta por seus direitos, é teimoso. Quando você o faz… é prova de caráter. Quando você manda um e-mail desse é porque gosta dos amigos. Quando o outro manda… é um desocupado.

Eliel Soares
Publicado no Recanto das Letras em 14/08/2008Código do texto: T1127378

Publicado por: elielsoares | novembro 21, 2009

Dia Nacional do Pastor

DISCURSO DO PR ELIEL A SOARES NO DIA DA INSTITUIÇÃO DO DIA NACIONAL DO PASTOR
O SR. ELIEL AMARAL SOARES – Em Jeremias, Capítulo 3, Versículo 15 diz: “Dar-vos-ei pastores segundo o meu coração, que vos apascentem com o conhecimento e com inteligência”.Exmo. Sr. Presidente desta sessão solene, Deputado Gilberto Nascimento; Exmo. Sr. Deputado Walter Feldman, líder do governo nesta Casa; Exmo. Sr.Pastor José Bittencourt, mui digno representante do pastor Manoel Ferreira e pastor Samuel Ferreira, Convenção das Assembléias de Deus de Madureira; Exmo. Sr. Pastor Alcides, que foi muito feliz na sua palavra esta noite, mui digno representante do pastor Alfredo Reikidal, das Assembléias de Deus, Catedral da Independência; Exmo. Sr. pastor e missionário Gregório, que trouxe à tona aquele marco importante da passagem do povo de Israel pelo Rio Jordão, das pedras pisadas, representando as igrejas independentes aqui presentes, Srs. Deputados, Exmas autoridades presentes, ilustres pastores que aqui se encontram nesta noite bonita em plena primavera, orquestra, coral, cantores, Quarteto Alfa, senhoras e senhores, prezados irmãos em Cristo, esta não é apenas uma noite e um dia solene, mas este é um dia em que se reveste a história do Cristianismo e o dos evangélicos no Brasil. Incumbiu-me o Sr. Presidente da Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil, da Convenção Fraternal Interestadual das Assembléias de Deus no Estado de São Paulo, Ministério do Belém, pastor José Wellington Bezerra da Costa e Sr. Presidente, me faço acompanhar de vários pastores, líderes nesta Cidade de São Paulo, do nosso Ministério do Belém, entre eles pastor Carlos Galvani, pastor José Luiz de França, pastor Josué da Silva, pastor Paulo Gregório, pastor Arlindo Rodrigues e outros.Quando disse que essa é uma noite histórica, digo porque esta Casa do povo constantemente se reúne para tratar de projetos, leis e decretos importantes para a comunidade e para o nosso Estado de São Paulo. Porém, hoje, numa noite brilhante, esta Casa se reúne, transformada em um santuário de Deus, para comemorar uma conquista, que é a instituição do “Dia do Pastor Evangélico”.Poderia usar alguns minutos para falar do lindo papel do pastor, que não se trata de um profissional, mas de um ofício e de um sacerdócio. Entretanto, quero cumprimentar o nobre Deputado Gilberto Nascimento pela iniciativa áurea de lembrar e de incluir nos decretos, projetos e agora lei desta Casa o “Dia do Pastor Evangélico”. Antes, já disse muito bem o missionário Gregório, não tínhamos espaço, nem ao menos possibilidade de chegar nesta Casa, que é a nossa Casa, a Casa do povo, até para reivindicar e fazer os nossos requerimentos. Mas nesta noite solene e histórica, aqui estamos para agradecer a Deus pelo “Dia Nacional do Pastor Evangélico”. Pastor não se trata de um produto fabricado, pastor não se trata de uma origem e de uma instituição de estabelecimentos de educações teológicas e religiosas, mas pastor é algo que este livro, o maior best seller, o maior livro de todos os tempos, a Bíblia, declara muito bem “pastor é algo dado pelo próprio Deus”, “eu vos darei pastores”. Efésios, Capítulo 4, versículo 11, disse o grande pastor: -e porque não dizer, nobre Deputado Gilberto Nascimento, que V.Exa. também é pastor – ” E ele, Jesus mesmo deu uns para apóstolos, outros para evangelistas, outros para profetas, doutores e pastores”.Portanto, esta é uma noite em que esta solenidade é dignificada pela instituição do Dia Nacional do Pastor Evangélico.A todos os pastores que agora são incluídos nesta conquista, os nossos parabéns.Obrigado, Sr. Presidente. (Palmas.)
Pastor Eliel A Soares
Publicado no Recanto das Letras em 23/10/2008Código do texto: T1243328

« Newer Posts - Older Posts »

Categorias